Envolvido na morte do Sargento Moreira é morto em confronto com a PM

O segundo envolvido na morte do Sargento da Reserva Orlando Moreira, foi morto na tarde desta sexta-feira, dia 06, em confronto com a PM no Monte Alegre. O morto é apontado como comparsa que pilotava a moto quando o Sargento da Reserva foi baleado em outubro de 2019.

M.F.P.A, vulgo “Vesgo”, foi visto em um bar na Rua Monte Serra Fina e, através da denúncia a respeito do paradeiro do foragido, bem como de que estaria portando objeto pesado escondido na camiseta que carregava na mão, os policiais foram até o local. No momento que chegaram, Vesgo e outro homem haviam fugido do local.

Foi iniciada a busca e, ao serem localizados e abordados, Vesgo sacou um revólver e apontou para os policiais, enquanto o comparsa subiu moro acima com arma em punho efetuando disparos.

Diante da ameaça, os policiais atiraram contra Vesgo, que morreu no local. Já o segundo bandido, conseguiu fugir efetuando disparos na direção dos policiais. Buscas estão sendo feitas e o foragido ainda não foi localizado.

Foram acionados os órgãos competentes, inicialmente, ASU do BM e posteriormente a PC, IGP e IML.

M.F.P.A. além de estar com mandato de prisão em aberto pela morte do Sargento Moreira, ainda possui registros policiais por roubo, tráfico de drogas, desacato, dano, furto, porte ilegal de arma de fogo, estupro, ameaça, receptação e homicídio.

Morte de Sargento

Orlando Moreira foi atingido por cinco tiros no bairro Monte Alegre no dia 08 de Outubro de 2019. Dois criminosos chegaram ao local de moto por volta das 20h30, atiraram contra o policial e depois fugiram. Os tiros atingiram o joelho direito, a mandíbula, região da mão, do dorso e do abdome. Ele foi encaminhado ao Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, cidade vizinha. Moreira morreu no dia 3 dias depois.

No dia seguinte ao atentado, um homem de 18 anos, suspeito de ter atirado contra o sargento, morreu em confronto com a PM em Itajaí. A PM diz que ele tinha 19 registros de antecedentes criminais, a maioria por tráfico de drogas.

 

Comente Abaixo