Mais 15 leitos de UTI e 20 de enfermaria para COVID na AMFRI

Uma reunião no final da manhã desta terça-feira definiu a abertura de 15 novos leitos de UTIs e 30 de retaguarda pra região da Amfri. Serão mais 10 leitos intensivos no hospital Marieta e cinco no Centro de Covid de Balneário Camboriú. Outros 10 leitos de retaguarda serão instalados no hospital de Camboriú e 20 no hospital de Luiz Alves.

Participaram da reunião prefeitos de municípios que dispõem de hospital na região da Amfri, como o prefeito Fabrício Oliveira, de Balneário Camboriú, o prefeito de Penha, Aquiles da Costa, Marcos Veber, de Luiz Alves, o vice-prefeito de Itapema, João Luiz Emel, e o presidente da Amfri e prefeito de Porto Belo, Emerson Stein, além de secretários de saúde dos municípios e diretores de hospitais.

“Importante ressaltar que o Hospital Marieta e o Ruth Cardoso são hospitais de alta complexidade e por isso eles necessitam dos hospitais menores tenham leitos clínicos disponíveis para que eles possam fazer o atendimento em UTI’s. É uma necessidade de sensibilização de todos os envolvidos para que isso ocorra o mais depressa possível. O prazo que nos foi dado, é que a partir do dia que for emitido o documento ao Governo do Estado, ou seja, na data de hoje, será feito esse levantamento junto à Secretaria de Saúde do Estado para começar a equipar os hospitais”, ressaltou a Coordenadora da Comissão Intergestora Regional de Saúde (CIR) e Secretária de Saúde de Luiz Alves, Juliana Rodrigues de Brito Wust.

Ainda de acordo com Juliana, o levantamento emitido pela CIR mostra a possibilidade de aumentar 10 leitos de UTI’s no Hospital Marieta Konder Bornhausen e 5 no Centro Municipal de Tratamento de Covid-19, em Balneário Camboriú. O documento ainda apresenta a possibilidade de aumento em mais 40 leitos clínicos na região: 20 no Hospital de Luiz Alves, 10 no Hospital Cirúrgico em Camboriú, 5 no Hospital Santo Antônio em Itapema e 5 no Hospital de Penha.

No momento, ela ainda afirma que os secretários de saúde estão na busca de leitos clínicos no Hospital São José de Tijucas para os pacientes da região da AMFRI.

Para o Presidente da AMFRI e Prefeito de Porto Belo, Emerson Stein, a situação é grave e requer urgência. “A ideia é utilizar os leitos de hospitais menores, existentes aqui na nossa região, como leitos de retaguarda para atender aqueles que ainda não precisam de UTI’s e abrir novos leitos de UTI em hospitais maiores como Marieta e Ruth Cardoso. Acreditamos que unidos conseguimos suprir uma boa parte das nossas necessidades”, reforça.

A montagem desses leitos depende da contratação das equipes e está sendo cogitada a possibilidade de trazer profissionais de outros estados brasileiros. No hospital Marieta já foi informada a possibilidade de abrir mais 10 leitos de UTI. O centro de Covid de Balneário fechará cinco leitos de retaguarda pra abrir cinco leitos de UTIs.

Por Diarinho