Mais uma: Mercadinho acusa Sinara Castagnaro de golpe

Sinara Castagnaro volta às manchetes. A vítima, dessa vez, seria um mercadinho no centro de Balneário Camboriú. O mercado aceitou um pedido de compras, via delivery, no valor de R$ 420.

O cartão de Sinara não passou na primeira tentativa, sendo recusado em outras três e em máquinas diferentes. A mulher pediu ao entregador que voltasse no dia seguinte para passar o cartão de novo. E sumiu. Sinara contestou a denúncia, alegando que não comprou em mercado algum.

Já os comerciantes dizem que, quando conseguiram contato com Sinara outra vez, ela disse que pagaria a conta através de transferência bancária. Mas nunca fez.
“Acabamos descobrindo que já que aplicou diversos golpes em Balneário Camboriú”, relatam.

Em contato com o DIARINHO, Sinara afirmou que não conhece o “mercadinho”, já que costuma comprar apenas num grande supermercado da cidade. Ela comentou que, após a denúncia ser publicada, uma pessoa passou a mandar mensagens com ameaças. Ela prometeu fazer um boletim de ocorrência pela internet.

Sinara relatou que tem passado os últimos dias em Florianópolis, em virtude do tratamento de mãe, de 69 anos, que está com Alzheimer. Com a denúncia, a mãe e amigos passaram a perguntar se ela estava com coronavírus, o que negou. Sinara diz que pretende saber quem fez a denúncia e a motivação, bem como está identificando outras pessoas que fizeram comentários com novas acusações.

Histórico de rolos na região

Sinara coleciona processos por estelionato, difamação, falsa identidade, apropriação indébita, etc. No processo de falsa identidade, instaurado em junho de 2017, há uma atualização de 2 de março de 2020. Oficial de justiça foi ao endereço de Sinara, três vezes, como manda o rito, e em nenhuma das vezes a encontrou. O endereço é o mesmo que Sinara fez o pedido das compras e não comprou.

Um processo por estelionato, de 2019, foi movimentado ainda este ano, no dia 25 de março. Neste, o prazo de intimação do advogado foi prorrogado por conta dos prazos processuais. A previsão de continuidade é 5 de maio deste ano.

Outro processo de estelionato, este de 2018, foi despachado para o juiz em novembro de 2019. E o processo de apropriação indébita, instaurado em 2016, foi concluso. Há um processo por estelionato de 2016 que está em grau de recurso.
Em 17 de outubro de 2017, ela foi presa por estelionato, mas passou só uma noite no presídio. No dia seguinte, conseguiu um habeas corpus e foi liberada. Todos os golpes foram contra o comércio local.

Por Diarinho

Comente Abaixo