Mulher tenta alugar casa que ganhou do governo

O que era pra ser uma alternativa de moradia para famílias de baixa renda, estaria virando um instrumento de especulação imobiliária. Pelo menos dois moradores do conjunto habitacional São Francisco de Assis, no bairro Espinheiros, em Itajaí, colocaram os apartamentos para alugar pela internet. A prefeitura diz que isso é proibido.

O caso mais recente foi denunciado ao DIARINHO por uma leitora. Uma mulher de nome Ângela Maria, que seria funcionária da prefeitura, divulgou segunda-feira uma unidade do São Francisco na página do Facebook chamada de Mercado Livre Itajaí. “Apartamento com dois quartos sala cozinha lavanderia conjugada banheiro garagem”. O aluguel é de R$ 500 por mês.

Nos comentários da oferta uma internauta chega a comentar que o aluguel é ilegal, mas não recebe respostas. O DIARINHO também tentou contato com Angela Maria, mas ela não se manifestou.

Segundo a secretaria de Habitação da prefeitura, esse é o segundo caso de tentativa ilegal de aluguel daquele conjunto habitacional, entregue no começo deste ano para 480 famílias carentes.

Pelo contrato que assinaram com a prefeitura e a Caixa, os moradores se comprometeram em morar no local até pagar completamente o financiamento, feito em 10 anos e com um custo mensal que varia entre R$ 80 e R$ 270, conforme a renda da família.
“Durante os 10 anos eles não podem vender, alugar, nem emprestar. O imóvel é de uso exclusivo para residência do beneficiário”, ressalta a secretaria de Habitação.

Os casos descobertos, como este denunciado, são repassados à Caixa Econômica Federal, segundo a secretaria, que é a responsável pela fiscalização do contrato. Se ficar comprovado que a pessoa não está morando no apê e que tenta vendê-lo ou alugá-lo, aí tá arriscada a perder o imóvel e dar lugar pra outra família que realmente necessite.

 

Por Diarinho

Comente Abaixo