Polícia prende suspeitos e recupera armas furtadas do IGP de Itajaí

A Polícia Militar (PM) recuperou na segunda-feira (22) cinco armas e coletes que foram furtados da sede do Instituto Geral de Perícias (IGP) em Itajaí, no Vale. Dois suspeitos foram presos durante a ação policial. O prédio da unidade, que fica a poucos metros da delegacia da cidade, foi arrombado no domingo (21) e houve suspensão do atendimento. As atividades foram retomadas na manhã desta terça-feira (23) e houve registro de filas.

Segundo a polícia, os homens presos seriam um dos autores do furto e outro receptor de uma das armas levadas do IGP. Há suspeita de que outro homem tenha participado do arrombamento.



Um dos suspeitos preso foi identificado por meio de um exame de papiloscopia, que identifica as digitais, conforme informou a PM. Ele foi localizado no Beco do Alemão, confessou que participou do furto e indicou aos policiais onde estaria parte dos objetos levados do instituto.

Com o suspeito, a polícia encontrou uma pistola 6.35. Além disso, o homem informou aos policiais que duas armas estavam escondidas em um terreno baldio. No local, a polícia encontrou um revólver.38 e uma pistola 838.

Ainda de acordo com a polícia, o homem também afirmou aos policiais que havia deixado em um hotel uma bolsa com o colete balístico preto, uma balança de precisão, um aparelho GPS (Sistema de Posicionamento Global, em inglês) e uma pistola .40, com carregador.

O suspeito também teria informado que pagou uma corrida de mototáxi com a pistola .40 STK, acompanhada do carregador. Por meio da localização repassada pelo suspeito, a PM encontrou o mototaxista que confirmou aos policiais a negociação e foi preso.

O material recuperado e os homens foram levados para a Central de Plantão de Polícia (CPP). Por meio de nota, a IGP informou que as armas furtadas passavam por perícia e que a devolução para as autoridades solicitantes iria ser feita na segunda-feira por conta do feriado de Páscoa.

Atendimento

Na manhã desta terça-feira (23), foi registrada fila no atendimento no IGP. Segundo a reportagem da NSC, parte do atendimento precisou ser feito manualmente, já que durante o arrombamento equipamentos eletrônicos foram levados pelos suspeitos, como por exemplo, as câmeras acopladas aos computadores faziam fotografia para identidade.

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.