Por exigência do regulamento, Chapecoense terá que sair do estado para a decisão

A Chapecoense segurou o empate sem gols contra o San Lorenzo-ARG e conquistou a vaga para a final da Copa Sul-Americana, a primeira decisão internacional de sua história. O torcedor que fez a festa na Arena Condá na noite de quarta-feira, no entanto, terá que viajar para acompanhar a decisão contra Atlético Nacional-COL ou Cerro Porteño-PAR.

Com capacidade para 15.765, o estádio da equipe não atende o regulamento da Conmebol, que exige pelo menos 40 mil lugares para a partida decisiva. O detalhe é que nenhum outro estádio de Santa Catarina possui tal capacidade, obrigando a Chapecoense a viajar bastante.

Já está definido que a segunda partida das finais acontecerá em solo brasileiro. Agora, a diretoria do clube estuda as opções que tem para a decisão, sendo que as cidades de Porto Alegre ou Curitiba. O técnico Caio Júnior já deixou clara a sua preferência.

“Dar opinião agora é difícil, preciso ver o melhor para o clube. Existem as opções do Couto Pereira e da Arena da Baixada, vamos ver a parte de relação. Para mim, seria legal jogar em Curitiba, minha cidade. E Chapecó vai toda para Curitiba, se eu pudesse, recebia todos na minha casa”, disse o treinador após o fim do jogo.

Outros times brasileiros já sofreram situações parecidas devido aos regulamentos das competições da Conmebol. Em 2005 o Atlético Paranaense levou para Porto Alegre o primeiro jogo da decisão da Copa Libertadores contra o São Paulo. Na Copa Sul-Americana, em 2013, a Ponte Preta enfrentou o Lanús-ARG no Pacaembu.

(Por UOL/ESPN)

Comente Abaixo