Santa Catarina receberá mais de 308 mil doses de vacina para covid

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Governo do Estado recebeu na tarde desta quarta-feira,31, informe do Ministério da Saúde (MS) sobre o envio de novas doses para Santa Catarina. De acordo com o MS serão encaminhadas ao estado 18.250 doses da Oxford/Astrazeneca e 290.800 da vacina Sinovac/Butantan. As doses da Oxford/Astrazeneca serão destinadas integralmente à aplicação da segunda dose (D2).

 

No caso da vacina Sinovac/Butantan, 272.192 também serão destinadas à aplicação da Dose 2. No entanto, também é preciso considerar um acréscimo de 5% relacionados à reserva técnica. As demais serão destinadas à aplicação da primeira dose (D1) nos grupos das forças de segurança e salvamento e forças armadas e idosos entre 65 e 69 anos.

 

Na última segunda-feira, 29, o Fórum Parlamentar Catarinense pediu, em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pela agilidade no envio de novas doses de vacinas. Daniela Reinehr, na condição de vice-governadora, participou da reunião a convite do fórum.

 

O Ministério ainda irá informar quando o Estado enviará essa nova remessa de doses.

 

Antecipação dos profissionais das forças de segurança e salvamento e forças armadas na vacinação

 

De acordo com orientação do Ministério da Saúde, será iniciada a vacinação contra a Covid-19 de parte dos profissionais das forças de segurança e salvamento e forças armadas que atuam diretamente nas ações de combate à pandemia. Para isso, será antecipado o envio de doses de maneira escalonada e proporcional exclusivamente para a vacinação destes profissionais, de acordo com os seguintes critérios de prioridade:

 

Trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes;

Trabalhadores envolvidos em resgates e atendimento pré-hospitalar;

Trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de vacinação contra a covid-19;

Trabalhadores envolvidos nas ações de implantação e monitoramento das medidas de distanciamento social, com contato direto com o público, independente da categoria;

Esses profissionais fazem parte dos grupos prioritários definidos no Plano Nacional de Vacinação.