Ta chegando! – Coluna Ácido Úrico

A pandemia mudou os planos, as histórias, a rotina e até mesmo as eleições municipais. Estamos em agosto de nem parece que em poucos meses será escolhido quem vá administrar a cidade nos próximos 4 anos. Não tem ninguém se digladiando em grupos de whats e esse ano não surgiu nenhum jornalzinho impresso pré eleitoral.

Construções 

O PSDB de Balneário Camboriú oficializou o nome de Auri Pavoni para concorrer ao cargo de prefeito da cidade nas eleições desse ano, só não falou quem seria o vice. Os tucanos deixaram a porta aberta para possíveis conjunturas que possam aparecer. Em resumo, está aberto a novas conversas e articulações para o pleito de 2020.

Por baixo 

Quem está com a imagem desgastada e tem encontrado dificuldade na articulação de uma chapa é o ex-prefeito Piriquito. Tudo que se ventilou até o momento não se concretizou. Nos bastidores dizem que ninguém quer ser vice do cara e existe inclusive a probabilidade do MDB vir com chapa pura. Até mesmo os apertos de mão e chamegos com Leonel Pavan minguaram e parece que a união já queimou na largada.

Queimando 

Aliás, com relação a queimar, Piriquito é campeão. A corrida eleitoral nem começou e ele já se queimou com servidores, forças de segurança, empresários, entidades e por ai vai. Pra ajudar, a base do MDB na câmara tem feito o mesmo e deixando o nome de Pirica mais por baixo que bunda de sapo. Se continuar desse jeito, vai ter o voto só dos que tinham um carguinho e sonham em voltar para a teta da prefeitura, ou que foram beneficiados em seu governo.

Vermelhou

Quem está se articulando para montar um bloco vermelhinho, são os partidos de esquerda da cidade. PTB, PT, PSOL e outros miudinhos pretendem montar uma chapa de esquerda para tentar tirar o atual prefeito do cargo. Atual prefeito que o PT tem chamado de genocida por tabela em suas publicações no Facebook, mas esquecem que quem comandou a saúde no país inteiro na última década, foram eles mesmos. Houve uma historia que esse bloco de esquerda poderia se juntar com Piriquito, inclusive com a participação do PDT, partido da base do governo Novas Ideias.

Traição?

Rolam nos bastidores há meses uma conversa de que o PDT poderia declarar seu amor pelo MDB e trair Fabricio Oliveira aos 45 do segundo tempo nas eleições desse ano. A história tem tomado corpo nos últimos dias e uma possível traição tem ficado cada vez mais palpável, principalmente pelo silêncio das partes envolvidas. PDT que esteve junto de Fabricio em 2016 e regozijou durante todo o governo com secretaria, direções e cargos, nunca defendeu o governo como deveria. Há quem diga que tudo tem acontecido com a anuência da deputada Paulinha que estaria mexendo os pauzinhos a nível estado. Sujeira ou imaturidade política, eu não sei. Mas a última coisa que a líder do governo do estado na Assembleia precisa agora, é criar rusgas em municípios.

Saia justa

Outras situações que tem deixado tanto o PDT quanto a base do governo em saia justa, é o namorico que tem rolado entre o vereador Patrick Machado (PDT) e Lucas Gotardo (Novo), fazendo dobradinha em videos e “fiscalizações”. (Novo de mãos dadas com o PDT parece até piada) Sem contar Alan Muller, pré alguma coisa pelo PDT, que tem chamado outros partidos para discutir ideias para a cidade. Por mais que seus cargos continuem no governo, o PDT tem se afastado do atual governo, deixando alguns prés candidatos a vereador pela sigla com a pulga atrás da orelha, pois discordam de uma possível traição e um rompimento pode colocar água no chopp de suas candidaturas. Quem parece que anda cabreiro com isso, é o próprio prefeito Fabricio Oliveira.

Cabreiro?

Fabrício é centralizador. No que diz respeito a articulação política, não deixa que ninguém resolva nada por ele. Na ânsia de querer resolver tudo e dando prioridades aos novos apoios, deixa na estrada quem esteve com ele os últimos anos. Tem ganhado apoio em algumas áreas, mas perdido aliados que sempre estiveram ao seu lado. Seu grupo político de combate é novo, infantil e não conseguem criar frases com mais de 4 palavras sem se perderem nos argumentos. Com raríssimas exceções, é um grupo imaturo e com posicionamento fraco que mais prejudica do que ajuda.

Apoio

Em contrapartida, essa situação deixa o grupo de apoio mais velho e maduro politicamente, que realmente faz a coisa acontecer, fulo da vida com as atitudes os bagrinhos que sequer sabem o que acontece no andar de cima. A maior queixa é a dificuldade em tomar decisões que ele não permite que outros tomem. Em meio a pandemia, ocupado com as coisas do dia a dia da cidade e o caos gerado pelo coronavírus, seria de suma importância que Fabricio tivesse dado a uma ou mais pessoas, o poder de articular politicamente em seu nome, o que não aconteceu. O resultado disso é o abandono de aliados no decorrer dos anos e, principalmente, a falta de estrutura política partidária. Não falo de CNPJ, falo de pessoas.

Prés 

Começou as “pérolas” eleitorais já com os prés. Tem de tudo, projetos legislativos mirabolantes e eleitoreiros, vídeos amadores, impulsionamentos ilegais no Facebook e lives, muitas lives, de quem não tem o que falar ou apresentar. Sem contar os partidos de negociata, que fingem ter uma estrutura que não existe, para simplesmente aumentar o valor do passe. Mas isso vamos falando nos próximos dias.

 

Ta chegando! – Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent 

 

 

 

Comente Abaixo