Pelo menos 59 moradores de Camboriú receberam vacinas vencidas

© REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

Um levantamento baseado no cruzamento de dados oficiais do governo federal aponta que ao menos 26 mil pessoas podem ter recebido doses vencidas da vacina AstraZeneca contra a Covid-19. O trabalho dos pesquisadores Sabine Righetti, da Unicamp, e Estêvão Gamba, da Unifesp, foi publicado nesta sexta-feira (2) pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

O golpe baixo das “vacinas vencidas” da Folha de São Paulo

Confira os lotes que teriam doses aplicadas após o vencimento

É NECESSÁRIO CHECAR O CARTÃO DE VACINAÇÃO E AS DATAS

Até o dia 19 de junho, os imunizantes com o prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros.

Em Camboriú, pelo menos 59 pessoas receberam a vacina vencida. São 55 no bairro Monte Alegre e 4 no bairro Tabuleiro. A prefeitura disse que não foi notificada oficialmente e que apura o caso.

Em Balneário Camboriú, de acordo com os dados, apenas uma pessoa recebeu a dose de lotes vencidos. A DIVE municipal apurou e encontrou essa pessoa, mas os dados não batem com os do relatório, descartando a possibilidade de ter sido aplicada vencida.

O lote pode ser conferido na carteira individual de vacinação. Quem tiver recebido uma dose de um desses oito lotes de AstraZeneca após a data de validade (veja gráfico abaixo) deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento.

Além disso, de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, quem tomou imunizante vencido precisa se revacinar pelo menos 28 dias depois de ter recebido a dose administrada equivocadamente. Na prática, é como se a pessoa não tivesse se vacinado.

O plano define, também, que cada indivíduo vacinado seja identificado com o lote da imunização recebida, o produtor da vacina e a dose aplicada. Isso é feito justamente para acompanhamento do Ministério da Saúde e eventual identificação de erros vacinais.

Vacinas Vencidas

A campeã no uso de vacinas vencidas é Maringá, reduto eleitoral de Ricardo Barros (PP), líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. A cidade paranaense vacinou 3.536 pessoas com o produto da AstraZeneca fora da validade (primeira dose em todos os casos).

Em Santa Catarina, São Francisco do Sul é a cidade com maior número de doses vencidas aplicadas (142), Tubarão em segundo (109) e Chapecó em terceiro (60).

Depois aparecem Belém (PA), com 2.673, São Paulo (SP), com 996, Nilópolis (RJ), com 852, e Salvador (BA), com 824. As demais cidades aplicaram menos de 700 vacinas vencidas, sendo que a maioria não passou de dez doses.